Crônica W116

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Crônica W116

Mensagem por Thiago França em Qua 28 Jul 2010 - 23:43



Amigos,

Absolutamente in love com a minha nova aquisição (280S 1977) e à cata de informação na internet deparei-me com uma crônica interessantíssima sobre essa carroceria tão emblemática da Mercedes. É do site "autoentusiastas" ([Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]) e bem retrata o sentimento daqueles que realmente despertaram para os MBs admirando esses maravilhosos carros, com todas descrições de sensações visuais, auditivas e olfativas!

Percebi que alguns confrades já leram e até se manifestaram, mas vale para quem não conhece.

Um abraço!


24 de maio de 2009


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Postado por Felipe Bitu
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
O Paulo Keller perguntou a todos [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] que irremediavelmente comprometeu nossos cérebros ao ponto da mania por automóveis não ter mais cura. Isso é bem típico do Paulo, eu me recordo de uma vez em que ele pediu a todos nós aqui do blog para que fizéssemos uma retrospectiva dos carros e experiências automotivas que mais nos marcaram.

Assim como o Paulo, cresci rodeado de Matchbox, daqueles antigos mesmo, que você podia pisar em cima ou atirar na cabeça do irmão mais novo sem que ele se quebrasse (esses Matchbox novos são um desgosto para mim). Isso no meu mundinho pequeno de quintais e playgrounds. No mundo de gente grande eu curtia os VW Passat: meu pai tinha um LS azul metálico e meu tio Luís tinha um TS amarelo, morria de paixão pelos dois carros. Mas não foi o Passat que me tornou um entusiasta.

Não me lembro ao certo em qual dos Passats isso ocorreu, mas foi pela janela traseira de um deles que eu vi o carro que persegue meus sonhos até hoje. O carro que realmente tocou meu coração, que virou meu cérebro do avesso: o Mercedes W116 (1972 - 1980).

Eu lembro muito bem que eu ficava doido quando via um deles na rua. Não podia nem ver a estrela de 3 pontas em cima do capô que já ficava louco. Meu pai logo percebeu o meu alvoroço por Mercedes e já foi tentando me desanimar: "Esquece isso filho, isso é carro de embaixada. Além de ser caro, muito caro."

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Mas de nada adiantava meu pai falar, os anos passavam e eu cada vez mais doido em Mercedes. Era difícil achar miniaturas do W116 e eu tinha que me contentar com miniaturas dos Mercedes R107 (a SL/SLC de 1971 a 1989). Um vizinho do condomínio percebeu o fascínio que eu tinha pelos Mercedes e comentou: "Todo ano eu vou visitar minha família no Líbano, em Beirute Mercedes é igual Fusca aqui no Brasil."

Não demorou muito e encontrei uma oficina em São Bernardo do Campo que só trabalhava com Mercedes. Pra mim era como se fosse um paraíso: Mercedes de todos os anos, todos os modelos, todos os motores e todos os tipos de acabamento imagináveis.

Em pouco tempo fiz amizade com o pessoal da oficina e pude conhecer aquela atmosfera típica dos Mercedes mais antigos: o rádio Becker, o cheiro do interior, o volante enorme, detalhes íntimos dos motores, transmissões, suspensões, freios... Até detalhezinhos bestas me encantavam, como o "Made in West Germany" gravado em todas as pecinhas.

O dono da oficina, Marcos, já me dava as dicas: "Os mais fáceis de se manter são os 280 de seis cilindros, pois vieram em grandes quantidades para cá, existe até desmanche especializado em Mercedes. E a maioria usa carburador, é difícil trabalhar com as injeções Bosch Jetronic dos motores V8."

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Marcos falava por experiência própria: era o feliz proprietário de um 350 SEL com câmbio automático e rodas BBS RS de aro 16, uma coisa de maluco naquela época. O ronco do V8 nos kickdowns era indescritível, mesmo sendo o menor motor V8 da linha. Eu sonhava mesmo era com o 450 SEL 6.9, de preferência em uma autobahn alemã, para explorar todo o potencial dos 282 hp.

Em meados dos anos 90 o Marcos ficou sabendo de um leilão da Receita Federal, com vários Mercedes apreendidos. Os carros estavam em exposição em um galpão em São Paulo e lá fomos nós dar uma olhada no que estava sendo oferecido. Tinha Mercedes de tudo quanto é jeito, mas eu gamei mesmo foi num 350 SE azul, com câmbio manual de 4 marchas.

Infelizmente o Mercedes foi arrematado por um lance muito acima do que eu poderia bancar. O Marcos fechou a oficina há alguns anos e já faz um bom tempo que os W116 não são vistos pelas ruas com frequência. Vez ou outra vejo um rodando por aí, momento em que faço questão de parar ao lado no primeiro farol fechado, só para cumprimentar o proprietário.

O Mercedes W116 apareceu em diversos filmes, mas creio que sua aparição mais memorável foi em Ronin, de 1998. Jean Reno aparece no filme usando e abusando da suspensão hidropneumática do 450 SEL 6.9 e dos pneus 215/70 HR 14 (estamos falando dos anos 70!).




Essa atmosfera dos Mercedes antigos é uma coisa que não existe mais em Mercedes nenhum. O Mercedes W126 (sucessor do W116, fabricado até 1991) conseguiu manter boa parte da aura do W116, mas acabou ali. Há exatamente 18 anos Mercedes não tem mais cheiro de Mercedes , tem é um cheiro esquisito de plástico e coisas menos refinadas.

Acabou-se aquele pedaço setentista de Sindelfingen que vinha como equipamento de série em todos os W116, tão bom quanto ouvir Bert Kaempfert no velho rádio Becker. Os Mercedes mais novos se parecem mais com Kraftwerk tocando em um Ipod: continuam bons, mas jamais serão o que foram nos anos 70.
avatar
Thiago França
Usuário Bronze
Usuário Bronze

Número de mensagens : 195
Data de inscrição : 01/07/2008
Interesses : Conhecer amigos e trocar experiências e informações sobre MB.
Sexo : Masculino País : Brasil
Estado : Minas Gerais
Advertências : Sem restrição

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Crônica W116

Mensagem por Rique_sp em Qui 29 Jul 2010 - 13:29



Thiago

Eu estou "in love" com minha w116 até hoje, desde quando a comprei, em 07/2008....
Ela é a minha "amante oficial"!!!!

W116 sempre foi um carro que gostei(desde a inha infância).
Me lembro de quandovi uma de perto a primeira vez.
Foi numa loja de carros na Av Paes de Barros (Wallace automóveis).

Esse crônica eu já conhecia......
Lendo e relendo me faz viajar no tempo e imaginar como era a sensação de ter uma w116(ou outra mb clássica-107,108,109,113,114,115,116,123,124,126,201) na garagem nos anos 70 e 80.

Até hoje não é difícil vc andando com uma mb no trânsito e os pescoços virarem em sua direção.
Várias vezes, quando estou com minha 116(creio que também acontece com os demais conhfrades), os motoristas e pedestres ao lado buzinam ou balançam a cabeça ascenando positivamente.
avatar
Rique_sp
Usuário Ouro
Usuário Ouro

Número de mensagens : 841
Data de inscrição : 12/11/2007
Interesses : MB´s
Sexo : Masculino País : Brasil
Estado : São Paulo
Advertências : Sem restrição

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Crônica W116

Mensagem por thalesap em Qui 29 Jul 2010 - 13:58



Muito legal
avatar
thalesap
Usuário Prata
Usuário Prata

Número de mensagens : 470
Data de inscrição : 05/12/2008
Interesses : Mercedes novas e classicas ...
Sexo : Masculino País : Brasil
Estado : São Paulo
Advertências : Sem restrição

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Crônica W116

Mensagem por Schneider em Qui 29 Jul 2010 - 15:33



Muito bacana, aprendi a gostar de Mercedes com as 116, a primeira Mercedes do meu pai após o meu nascimento, lembro muito bem do carro até hoje, prata com azul, 280S automatica 1975, era demais, o cheiro é único, isso em 1984.
avatar
Schneider
Usuário Platina
Usuário Platina

Número de mensagens : 1413
Data de inscrição : 16/04/2008
Interesses : Mercedes
Sexo : Masculino País : Brasil
Estado : Santa Catarina
Advertências : Sem restrição

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Crônica W116

Mensagem por Thiago França em Qui 29 Jul 2010 - 17:44



Tenho uma historinha engraçada, de quando criança, acho que menos de 7 anos, já fascinado pelas Mercedes.

Tinha uma casa próxima da minha em que, às vezes, ficava parada uma 280S, devia ser de algum parente de fora. Gostava muito de ver esse carro! Era branca e tinha calotas da mesma cor, e o típico escapamento de 2 canos. Era uma "farol em pé", que tempos depois vim a saber tratar-se de uma W108.

Até que, uma vez, estacionou outro carro (W116)... Era mais moderno, mais bonito, mas conservava as mesmas características: sedã 4 portas, cor branca, calotas, duplo escape e... chamava-se 280S!!!!! Como podia ser??? Na época era incomum vermos um carro ser modificado e continuar conhecido pelo mesmo nome, ainda mais quem não conhecia a nomenclatura típica das Mercedes. Na ingenuidade de alguém não iniciado no mundo mercedal, concluí com segurança: era o mesmo carro, mas com a frente e a traseira modificados. Hahahá!!!

Esse deslize, só para contar como esses carros me fascinavam desde cedo. E, morando no interior, era muito raro ver uma, achava quwe quem tinha uma era um herói! (e, no fundo, era mesmo...).

Esse texto me fez viajar no tempo.

Um abração!
avatar
Thiago França
Usuário Bronze
Usuário Bronze

Número de mensagens : 195
Data de inscrição : 01/07/2008
Interesses : Conhecer amigos e trocar experiências e informações sobre MB.
Sexo : Masculino País : Brasil
Estado : Minas Gerais
Advertências : Sem restrição

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Crônica W116

Mensagem por thiagocb em Sab 14 Set 2013 - 21:08



Uma vez saí e fiquei rodeado de motos a minha volta...pareciam batedores! todos admirando a 116 branca!
avatar
thiagocb
Usuário Bronze
Usuário Bronze

Número de mensagens : 206
Data de inscrição : 27/11/2011
Interesses : Carros
Sexo : Masculino País : Brasil
Estado : Rio de Janeiro
Advertências : Sem restrição

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Crônica W116

Mensagem por Conteúdo patrocinado




Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum